segunda-feira, janeiro 30, 2006

Retrintrospectiva para intróito

Refluxoperário



ambulante de e-difício-tombar
etimologicamente irrecorrível
expressão vocabular

sirva-se
na passagem da vida:

forçosa poesia
viscosa palavra
nunca achada
.
.
fluxo
.
.
fluxo
.
.
fluxo
.
.
O silêncio não pára
[24.05.05]

_________


Psicotecelagem da vida cotidiana

Se não tiro das idéias
A singela tecelã...

Oh, tão bela tecelã,
Teça as bordas da manhã
Teça as bordas feito teias,
Feito veias, feito lã.

Se não tiro das idéias
A singela tecelã
Algum motivo deve haver?

Ouvi dizer que deve haver.

[05.06.05]

_________


Chapeau físsil


A paisagem
.............esparr
......................ama
............................va


..........................................Sombras fluidas de
..........................................espasmo:

..........................................Narrativa,
..........................................em desafinada contradança,
..........................................enfrenta
..........................................com sua borrasca -
..........................................vide asco -
..........................................o parapeito
..........................................alheio



..........................................(Não há momento
..........................................resoluto)

[06.07.05]

_________

Amarelo [claro]



Na verdade a discussão era
Outra

Vácuo
Coisas mundanas
Pensamento nas coisas
Microscópio, por exemplo

Há de _______ (novamente)
A respeito ou

[09.08.05]

_________

Saudade



Excentricidade de relógios
Amolecidos


(Fratura
..............Sensação)




Cada
Atração futura
Atmosfera de outono
Delírio passivo de coisa
Comovida
Com que vive
Enquanto

[05.09.05]

_________

Naquela janela


E daí o juízo

(suspenso)


Glossário de apreensões sensíveis
reconsultado às quatro
e trinta
puníveis tensões se dão
pensáveis no que esgoela tantíssimas

[26.10.05]

_________


Outridade



Ainda há refúgio à sombra
Ainda ( se à pedra
Ainda ) há


É preciso
É preciso ( dizer o falar se
É preciso ) datar o dia (ainda)





Proléptica
Segue com suas entranhas deslizadas
Muito antes
De trocar acenos
Muito antes
De atiçar um sonho
Esquivado à margem de resquícios

[08.11.05]

_________

Cinco retalhos

a Meu Abstrato Mestre



II


Ali está
Junto ao meio-dia
No fundo largo e solitário
Da basta melancolia




III


Ali está
Uma alma ainda
Reside mansas nuvens
Ainda sombras de mergulho
A imagem a imagem
Sono este
Sonho branco
Estranhíssimo marfim




IV


Mole floresce (folhas)
Sombreia sombras
(ali estão)
Aranhas bebem
Porção de cores
Dormem tranqüilas
Escuras
...........(poças)




V


Luz que brisa
Nenhum
A
paga
Que espelho
Nenhum
Que
brado
(Só uma
Palavr
A
vara)
Que afund
A
funda

[01.12.05]

9 Anátemas

Blogger Pablo Araujo disse...

visitando seu novo espaço.

abraços

1:40 PM, janeiro 31, 2006  
Blogger Celso disse...

gostei do espaço novo, Thiago. E começa com uma overdose de belos poemas. Gostei especialmente do segundo, mas todos são muito, muito bons. Versatilidade e domínio da técnica ficam evidentes.

Saudações

12:42 PM, fevereiro 01, 2006  
Blogger Edilson Pantoja disse...

Ora, ora, sua dica ao Celso não foi nada entrometida, não. Você demonstra conhecimento do que fala, rapaz! Belos poemas, parabéns!

1:03 PM, fevereiro 01, 2006  
Blogger virna disse...

voltou inspirado e de blog novo. vou atualizar o link.
beijo

11:00 PM, fevereiro 02, 2006  
Anonymous A. disse...

eu vi um livro do yeats em algum filme que vi, não cheguei a te contar que vi a amelie, não gostei, tantas coisas mais se falaria. etc.
aquela linha não se deve, enfim.

12:55 AM, fevereiro 03, 2006  
Blogger paulamanzo disse...

gostei muito do ritmo da primeira, já fiquei imaginando numa leitura.
beijo.

4:22 PM, fevereiro 05, 2006  
Anonymous Bill disse...

Ola,

Muito prazerosa a leitura de seus poemas, tomei gosto especial pelo 4º, palavras muito bem ordenadas, parabéns.

[s]s

3:40 PM, fevereiro 08, 2006  
Blogger v. disse...

ah, o chapeau físsil. tanto mais depois das sombras...

12:47 PM, março 15, 2006  
Blogger 朝川栄一 [Asakawa Eiichi] disse...

no (I), a concisão. E terminas com as síncopes, bem ao teu gosto, nesses retalhos. gostei. "Aranhas bebem
Porção de cores
Dormem tranqüilas
Escuras"... gostei muito.

10:00 AM, junho 18, 2006  

Postar um comentário

Criar um link

<< Home