segunda-feira, setembro 24, 2007

Gerard Manley Hopkins I

A GRANDEZA DE DEUS


A grandeza de Deus o mundo inteiro admira.
...Em ouro ou ouropel faísca o seu fulgor;
...Grandiosa em cada grão, qual limo em óleo amor-
Tecido. Mas por que não temem sua ira?
Gerações vêm e vão; tudo o que gera, gira
...E gora em mercancia; em barro, em borra de labor;
...E ao homem mancha o suor, o sujo, a sujeição; sem cor
O solo agora é; nem mais, solado, o pé o sentira.

E ainda assim a natureza não se curva;
...Um límpido frescor do ser das coisas vaza;
E quando a última luz o torvo Oeste turva
...Ah, a aurora, ao fim da fímbria oriental, abrasa -
Porque o Espírito Santo sobre a curva
...Terra com alma ardente sobre ah a alva asa.


(tradução: Augusto de Campos)


(Gerard Manley Hopkins. In: A Beleza Difícil)

3 Anátemas

Blogger Leandro Jardim disse...

fez jus ao título do livro:
beleza difícil
!

hehe, mas bom!

abs
Jardineiros

5:26 PM, setembro 24, 2007  
Blogger Carol Marossi disse...

Enfim, Hopkins! Boa escolha mas pessoalmente não gosto lá muito dele, vai entender.

Agradeço o comentário, mas me é cada dia mais difícil manter a regularidade. Esse último, por exemplo, achei bem fraco, mas foi o que consegui produzir na última semana.

A parte boa de colocar no blogue poemas sem um trabalho cuidadoso de revisão prévia é poder contar com comentários lúcidos como os seus a posteriori, quando de fato me debruço sobre eles e os martelo exaustivamente.

Beijos.

3:22 AM, setembro 25, 2007  
Blogger Carol Marossi disse...

Em tempo, faltou uma vírgula no primeiro parágrafo, sorry.

3:25 AM, setembro 25, 2007  

Postar um comentário

Criar um link

<< Home