quarta-feira, novembro 28, 2007

Os gregos II - Anacreonte

........A moça esquiva


........Por que me foges, ó potranca trácia,
........lançando-me esse olhar oblíquo?
........Presumes que me falte habilidade?


........Sabe que eu poderia sem transtorno
........impor-te o freio e dominando as rédeas
........fazer com que girasses em redor da meta.


........Se agora brincas nas campinas e nos pastos
........saltando leve, é que não tens um laçador
........que saiba cavalgar-te com destreza...



(tradução: Péricles Eugênio da Silva Ramos)


(Anacreonte de Teos. In: Poesia grega e latina)

1 Anátemas

Blogger Julia disse...

Poncito, lindo o poema!
Me fala uma coisa, onde é que você comprou esse livro de Poesia grega e latina? Quero muito!

5:28 PM, novembro 28, 2007  

Postar um comentário

Criar um link

<< Home