sexta-feira, abril 18, 2008

William Blake - The Tyger V

O Tigre


Tigre, tigre, chama pura
Nas brenhas da noite escura,
Que olho ou mão imortal cria
Tua terrível simetria?

De que abismo ou céu distante
Vem tal fogo coruscante?
Que asas ousa nesse jogo?
E que mão se atreve ao fogo?

Que ombro & arte te armarão
Fibra a fibra o coração?
E ao bater ele no que és,
Que mão terrível? Que pés?

E que martelo? Que torno?
E o teu cérebro em que forno?
Que bigorna? Que tenaz
Pro terror mortal que traz?

Quando os astros lançam dardos
E seu choro os céus põe pardos,
Vendo a obra ele sorri?
Fez o anho e fez-te a ti?

Tigre, tigre, chama pura
Nas brenhas da noite escura,
Que olho ou mão imortal cria
Tua terrível simetria?


(tradução: Vasco Graça Moura)


(William Blake. In: Laocoonte, rimas várias, andamentos graves)

0 Anátemas

Postar um comentário

Criar um link

<< Home