quinta-feira, setembro 21, 2006

Afastamento de crítica


Não há nada que toque menos uma obra de arte do que palavras de crítica: elas não passam de mal-entendidos mais ou menos afortunados. As coisas em geral não são tão fáceis de apreender e dizer como normalmente nos querem levar a acreditar; a maioria dos acontecimentos é indizível, realiza-se em um espaço que nunca uma palavra penetrou, e mais indizíveis do que todos os acontecimentos são as obras de arte, existências misteriosas, cuja vida perdura ao lado da nossa, que passa.

(Rainer Maria Rilke)

_____

1) a obra de arte, um poema que seja, sabe ao menos falar de si.

2) é preciso deixarmos de lado a consciência de que a crítica pode, de alguma forma, modificar a literatura.

3) se o que foi posto, foi posto deste ou daquele modo, é porque se deve apresentar deste ou daquele modo; não de outro.

4) a crítica, penso, só pode existir se literariamente: só uma obra de arte sabe responder ao diálogo mudo imposto.

5) não existe amizade em literatura; menos em poesia, ouso: poemas, enquanto poesia, se tem que afundar uns aos outros, a si mesmos. Não há tradição plena a se estabelecer: nem de si para si, nem de si para outro.

6 Anátemas

Anonymous Vic Saramago disse...

Mas existindo literariamente, acredito sim que a crítica pode falar de uma obra de arte!
bjo

12:37 PM, setembro 21, 2006  
Blogger Fred Neumann disse...

A crítica pode até vir a ser uma obra de arte em si, se o crítico tiver boa índole e ainda bom humor.
Sem um ou outro, "fora, crítico"!
Faça sua caminhada rumo ao armário onde são depositados seres com sombrancelha crescendo a rodo, fedendo a "cêcê" e ganhando pouco.

Poema e Ponce começam com po,

Fred

3:15 PM, setembro 21, 2006  
Blogger douglas D. disse...

Breton diria que a poesia será visceral ou será nada?
abs.

11:20 PM, setembro 22, 2006  
Blogger ana rüsche disse...

nossa, ponce,

que louco!

a-ca-bei de entrar aqui e vi que vc postou no Peixe. é bom ver que andamos conectados - ou isso é algum daqueles feeds misteriosos?. que saudades de ti!

sobre a crítica (era o que vim aqui escrever), faltou só dizer que ela se modifica a depender de "quem" conta a história e "quando". de boas inteções dizem que o inferno está cheio.

beijinhos, que nos venha o imp!

10:00 AM, setembro 29, 2006  
Blogger ana rüsche disse...

queremos mais posts! beijos de sexta-feira

10:38 AM, outubro 06, 2006  
Blogger Leo Avila disse...

Reforço o que disse a Ana: mais!

Abraços de quem sempre passa e nunca comenta!

Leo

12:08 AM, outubro 11, 2006  

Postar um comentário

Criar um link

<< Home