sexta-feira, novembro 30, 2007

Os gregos IV - Safo

.....Contemplo como o igual dos próprios deuses


.....Contemplo como o igual dos próprios deuses
.....esse homem que sentado à tua frente
.....escuta assim de perto quando falas
.............com tal doçura,


.....e ris cheia de graça. .. Mal te vejo
.....o coração se agita no meu peito,
.....do fundo da garganta já não sai
.............a minha voz,


.....a língua como que se parte, corre
.....um tênue fogo sob a minha pele,
.....os olhos deixam de enxergar, os meus
.............ouvidos zumbem,


.....e banho-me de suor, e tremo toda,
.....e logo fico verde como as ervas,
.....e pouco falta para que eu não morra
.............ou enlouqueça.



(tradução: Péricles Eugênio da Silva Ramos)


(Safo, a Décima Musa. In: Poesia grega e latina)

1 Anátemas

Blogger Julia disse...

Você com os Gregos e eu com os Hispânicos!
Lindos os poemas, mas ainda não achei o livro em sebo nenhum...

1:27 AM, dezembro 03, 2007  

Postar um comentário

Criar um link

<< Home