quinta-feira, dezembro 06, 2007

Os latinos IV - Horácio

......Aere Perennius


......Ergui um monumento
mais duradouro que o bronze, mais soberbo
que o régio vulto das pirâmides, alheio
ao vento, à chuva, à sucessão sem fim dos anos,
......ao tempo em sua fuga.


......Não morrerei de todo:
parte de mim há de evadir-se aos ritos fúnebres.
Crescerei, sempre novo, com o louvor futuro,
enquanto ao Capitólio ascendam o pontífice
......e a virgem silenciosa.


......Eu que de pais humildes
nasci onde violento o Áufidio estrondeia
e Dauno sobre povoações de agricultores
reinou escasso de águas, eu serei famoso:
......sim, hão de celebrar-me


......por ter sido o primeiro
a usar o metro eólio na poesia itálica.
Não escondas, ó Musa, o orgulho que te cabe
por teu merecimento, e cinge minha fronte
......com os louros de Delfos.


(tradução: Péricles Eugênio da Silva Ramos)


(Horácio. In: Poesia grega e latina)

1 Anátemas

Blogger Marcelo Novaes disse...

Bom, Tiago...,

Difícil achar Horácio em algum blog...

Aqui vai o endereço do meu blog, caso queira dar uma conferida:
http://olugarqueimporta.blogspot.com/


Um abraço,

Marcelo.

2:03 PM, janeiro 29, 2008  

Postar um comentário

Criar um link

<< Home