segunda-feira, novembro 12, 2007

João Cabral de Melo Neto I

A escultura de Mary Vieira


dar a qualquer matéria
a aritmética do metal
dar lâmina ao metal
e à lâmina alumínio

dar ao número ímpar
o acabamento do par
então ao número par
o assentamento do quatro

dar a qualquer linha
projeto a pino de reta
dar ao círculo sua reta
sua racional de quadrado

dar à escultura o limpo
de uma máquina de arte
por sua vez capaz da arte
de dar-se um espaço explícito


(João Cabral de Melo Neto. In: Museu de Tudo)

3 Anátemas

Blogger Julia disse...

Adoro esse poema, Poncinho, simplesmente adoro.

JCMN é foda demais, me dá arrepios... Vou postar o meu preferido lá no Quati...

11:55 AM, novembro 12, 2007  
Blogger Julia disse...

Oi Poncinho,
Concordo contigo, JCMN é de longe o maior poeta brasileiro.

Adorei aquele poema que vc colocou no meu blog, já o conhecia sim.

Mas o título do meu não é Eros e Psique, é o título da foto que eu tirei em Paris... O meu poema ainda está intitulado, quem sabe você não me ajuda...

11:01 PM, novembro 12, 2007  
Blogger Leandro Jardim disse...

Hm bom esse!

9:37 PM, novembro 13, 2007  

Postar um comentário

Criar um link

<< Home